Jaime Keine

Transplantado de rim

Sou Catarinense, mas morei por um logo período em Manaus-AM, onde trabalhava como Consultor na área de Gestão de Produção.

Em 2007, estava a trabalho em Minas Gerais, quando repentinamente senti fortes dores no estômago. Depois de uma série de exames, descobriram que eu tinha 97% de falência renal. Após o diagnóstico, comecei imediatamente a rotina de diálises e fui informado que a minha única chance seria o transplante de rim.

                Em razão de não haver transplante com doador cadáver em Manaus, em 2009 fui encaminhado para Curitiba, onde iniciei os exames para fazer parte da lista de espera por um rim naquele estado, entretanto, não me adaptei à região.

                Dessa forma, em 12/09/2010 cheguei à Natal/RN, onde dei continuidade a rotina de diálises. Mais uma vez, estava na fila aguardando a doação de um rim que pudesse me trazer de volta o prazer de viver.

                 Jamais esquecerei o telefonema, já tarde da noite do dia 04/07/2011, que recebi do médico dando-me a notícia da existência de um rim compatível. A pergunta que ele me fez ecoa até hoje em minha memória: “Jaime, você aceita esse órgão?”. Confirmei emocionado e cheio de esperança, afinal, a espera de 4 anos havia chegado ao fim. O nobre gesto do doador do rim pôde devolver a mim a capacidade de enxergar à minha frente um futuro repleto de realizações!

                 Estou reconstruindo a minha vida em Natal/RN, terra que me acolheu nessa fase tão difícil. A fase que vivo hoje é de um grande recomeço. Voltei a estudar. Estou cursando Graduação Executiva em Marketing e pretendo retornar, o mais breve possível, ao mercado de trabalho.

                O Instituto do Bem alerta da importância e grandiosidade do gesto de doação de órgãos. Você pode salvar vidas! Declare-se doador. Informe a sua família dessa notável decisão! Doe vida!

 

PATROCÍNIO

APOIO